Bicos de pena – Salão do Jovem Artista

Esses desenhos, feitos em técnica de bico de pena, são de 1981 e foram as minhas primeiras obras a entrarem numa seleção de arte, o Salão do Jovem Artista. Não lembro com exatidão se foi em 1982 ou 1983. Mas foi por aí.

Recordo que voltava da praia, de Santa Catarina, e minha mãe me disse que havia uma correspondência pra mim, um envelope grande. Sem que eu pudesse imaginar, era a confirmação de que dois desenhos meus haviam sido escolhidos para figurar na exposição daquele ano. Lembro que a Adriana Arioli, minha amiga lá do I.A., também havia entrado com duas serigrafias. A gente estava feliz, mas aquilo nos pegou meio distraídos. Coisas de jovens: tínhamos feito nossa inscrição e esquecido completamente. Afinal, a vida intensa dos vinte anos, o sol, a praia, as emoções do verão, tudo era mais importante, vivo e premente. Mas como foi bom, voltar e ver que havíamos sido selecionados.

O primeiro desenho eu intitulei de “A mulher e a flor” e o segundo, de “Em família” (título inspirado num filme de Fernanda Montenegro). Interessante que as duas ilustrações dialogam não apenas pela técnica e pelo estilo do traço, um pouco caricaturesco, mas também por causa da orquídea que aparece em ambos. Num ela aparece como símbolo de harmonia e beleza. Noutro também, mas com uma perspectiva de sonho, de bem estar. Acho que era isso que a gente mais queria: harmonia, beleza, sonho e bem estar.

2 comentários em “<strong>Bicos de pena – Salão do Jovem Artista</strong>”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *