Autorretratos

Desenhar-se a si mesmo é um exercício cujo resultado sempre nos surpreende. Mais pelo que descobrimos de fantasioso – e, portanto, de interpretativo, sugestivo e impalpável – do que propriamente pela perícia de nos representarmos tal e qual.

No começo dos anos 80 (meus anos de academia, no I. A. da UFRGS) produzi alguns. Em todos eles me identifico de alguma forma, mesmo que nuns eu reconheça mais e melhor os meus traços do que noutros. Há vários “eus” nessas imagens. Gosto disso.

O primeiro foi feito em 19 de abril de 1982, no dia em que completei 21 anos. O segundo, no mês seguinte, em 06 de maio. Um anos depois, em 22 de maio de 1983, fiz o desenho em que estou imberbe e pareço mais moço que nos dois retratos anteriores. O quarto, colorido, foi feito na Alemanha, em 1985, e o último quase uma década mais tarde, em 11 de janeiro de 1994, quando tinha 32 anos.

Os materiais diferem um pouco, mas a qualidade dos traços – sejam do desenho ou de meu rosto – e o ânimo, as expressões de cada um, mudam tanto que, se não soubesse que fui eu mesmo quem fez todos eles, me parece que poderia afirmar serem obras de diferentes artistas.

Essas “selfies de rabiscos” contam coisas. Coisas de mim sobre mim.

6 comentários em “<strong>Autorretratos</strong>”

  1. ARTHUR DE FARIA SILVA

    Olha, tu é mais bonito que tua versão desenhada. Lide com essa informação, ehehehehehe.

  2. Teresa Poester

    Dudu querido, como sabes, toda crianção é um auto-retrato. Te reconheço nesses desenhos pelos seus traços e suas cores tanto quanto pelos rostos que os inspiram. E tudo tem a ver contigo, tua música, tua escrita, tua belíssima pessoa.

  3. O auto retrato, como olhar-se no espelho, estão cheios de subjetividade.
    Mas objetivamente te prefiro presencialmente…..

  4. Teresita querida, sim! tudo somos “nós”, sempre. me acompanhaste todos esses anos; com esses lay-outs e ainda noutros. obrigado. beijos de amor.

  5. Miroca, amada, pois é… a gente “existe” em tantos planos, né? teu comentário me lembrou da canção do Belchior: “viver é melhor que sonhar”. que bom que vivenciamos tantas coisas juntos! beijo grande.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *